Comentários sobre Memories of Alhambra

by - sexta-feira, fevereiro 01, 2019

Eu tenho pelo menos dez doramas para colocar em dia, mas o que mais um para a lista tem de mal, não é mesmo? Hoje vou comentar um pouco sobre esse drama com a Park Shin Hye, Memories of Alhambra (que eu não consigo chamar de Alhambra, sempre falo Alabama, Alama, Alamba, qualquer coisa menos o nome certo).


Memories teve 16 episódios e trouxe uma história cheia de tecnologia e mistério. Yoo Jin Woo é o CEO de uma empresa que lida com investimentos e alta tecnologia. Arrogante e nada empático, ele embarga em uma busca pelo criador de um jogo de realidade aumentada que sumiu misteriosamente enquanto ia de trem para sua casa em Alhambra, na Espanha. Por não confiar em ninguém depois que seu melhor amigo e esposa o traíram, ele demora um pouco para perceber que a irmã desse garoto desaparecido é a única pessoa que pode autorizar que ele compre o jogo. A partir daí eles começam um relacionamento estranho (e nada amoroso por um tempo) cujo foco é encontrar o irmão da mocinha e lidar com os problemas que vão aparecendo no caminho. 

Apesar de ficar um pouco confuso com as mil coisas que acontecem ao longo da história, é realmente interessante ver o novo nível de entrelaçamento de histórias que a criadora desta trama alcançou. Só para você saber, Memories é de Song Jae Jung a mesma roteirista de W: Two Worlds (falei sobre esse dorama aqui) e se lá eu já fiquei enlouquecida com a trama, aqui é duas vezes pior. Em W tínhamos um mundo de ficção (da HQ) e um real, aqui temos um mundo real e um que é formado pelo jogo.

Dividi minha experiência com Memories em duas fases, na primeira tentei entender tudo o que estava acontecendo e descobrir em quais personagens eu poderia confiar, na segunda fase desisti de entender tudo, fiquei confortável e acompanhei o passeio. Porque assistir Memories é como estar em um vagão desgovernado, você sabe que em algum momento esse vagão vai bater, então até lá, só aproveita a vista e as informações que vão aparecendo.

Não posso negar que os efeitos especiais são incríveis e simplesmente te pregam uma peça atrás da outra - e também te faz desejar que realmente exista um jogo como aquele no mundo real e que pudéssemos jogá-lo ou pelo menos experimentar a vivência daquela realidade virtual por uma vez. E os cenários em Alhambra são simplesmente de tirar o fôlego (e deixam a gente morrendo de vontade de ir visitar). Mas nenhum desses dois pontos me fez apagar o fato de que em algum momento do caminho a trama se perdeu em flashbacks, em personagens sendo adicionados na trama sem necessidade e em mais questões do que respostas apresentadas.

Enquanto a grande maioria dos personagens foi bem construída (e de forma complexa), a adição de um punhado de ex esposas, por exemplo, não fez sentido nenhum - por que elas estavam ali? O que elas estavam fazendo ali? E me deixou olhando para tela do meu notebook episódio depois de episódio sem saber porque eu continuava assistindo. O mesmo vale para o arco romântico entre os protagonistas. Eles simplesmente não tiveram tempo suficiente para desenvolver qualquer sentimento romântico - e nem era necessário porque todos os outros arcos tinham coisas acontecendo o suficiente para nos manter ocupados.

Obviamente, a quantidade de coisas acontecendo nos faz continuar assistindo um episódio atrás do outro - porque simplesmente não tem como continuar a viver sem saber o que acontecerá com a maioria dos personagens. E, sendo sincera, a trama foi bem diferente do que estamos acostumados a acompanhar nos kdramas, se seu roteiro tivesse usado menos flashbacks e realmente desse o tempo necessário para desenvolver de forma profunda tudo o que era preciso, teria sido perfeito - provavelmente, com trinta episódios o resultado seria diferente.

Não há como negar que, apesar dos pesares, a qualidade da história, como sempre, é de alto nível - extremamente criativa e única, repleta de ação, suspense, com personagens emocionalmente complexos e aquele fator de quebra de expectativa que sempre é acima da média. O conceito foi bom e incrivelmente perturbador e mesmo com seus muitos pontos irritantes, Memories te faz ficar grudada sua trama até o final e sofrer com cada novo acontecimento.

No geral, valeu a pena. E Shin Hye finalmente beijou seu par romântico sem fazer careta, então...

Você pode assistir no Kingdom Fansubs ou na Netflix.

Até breve! 

You May Also Like

0 comentários

Muito obrigada por passar no Doki Doki! A sua visita é super importante para mim. Me conte, gostou de alguma coisa no post? Não gostou? Me ajude a produzir conteúdos cada vez melhores, a sua opinião é muito importante.