Dois livros para aqueles momentos em que precisamos de uma pausa

by - quarta-feira, janeiro 23, 2019

Existem aqueles dias em que nada dá certo ou que tudo o que queremos é nos enrolar em uma coberta, ficar confortável em uma poltrona, sofá ou cama e esquecer do mundo - eu, particularmente tenho muitos desses dias. Para situações como essa mantenho uma lista de coisas que me alegram (o que inclui playlists que adoro, filmes que me fazem sorrir, livros fofíssimos e doramas que aquecem o coração) e hoje decidi compartilhar com você um pouquinho sobre dois dos livros que sempre colocam um sorriso no meu rosto nos dias ruins.


1. Carry On, Rainbow Rowell
Da lista de melhores histórias que já li e que gosto de reler, Carry On é sem dúvida a que mais releio. Adoro o Simon com todas as forças do meu ser e Baz é um dos melhores personagens ever. Adoro como a trama vai ganhando um tom diferente conforme vai chegando ao fim e como a Rowell parece ter escrito essa jornada se divertindo.

Simon Snow é um bruxo que estuda numa escola de magia na Inglaterra. Profecias dizem que ele é o Escolhido. Você pode até estar pensando que já conhece uma história parecida. O que você não sabe é que Simon Snow é o pior escolhido que alguém já escolheu. Poderosíssimo, mas desastroso a ponto de não conseguir controlar sequer sua própria varinha, Simon está tendo um ano difícil na Escola de Magia de Watford. Seu mentor o evita, sua namorada termina com ele e uma entidade sinistra ronda por aí usando seu rosto. Para piorar, seu antagonista e colega de quarto, Baz, está desaparecido, provavelmente maquinando algum plano insano a fim de derrotá-lo. ''Carry on'' é uma história de fantasma, de amor e de mistério. Tem todos os beijos e diálogos que se pode esperar de uma história de Rainbow Rowell, mas com muito, muito mais monstros.

2. Caçadores de Tesouros, James Patterson e Chris Grabenstein
Aprendi a respeitar a carreira de James Patterson com o passar dos anos e de todos os seus muitos livros que li, este é o que mais gosto. É uma história com ritmo constante, personagens bem construídos e um fio narrativo que nunca deixa de funcionar. Essa história de caça ao tesouro é sempre uma oportunidade para esquecer das coisas e simplesmente me divertir.

Ser filho dos Caçadores de Tesouros mais famosos do mundo não é fácil. Mas quando seus pais somem misteriosamente, os irmãos Kidd irão se meter na maior aventura de suas vidas. O Dr. Kidd é um famoso caçador de tesouros que tem quatro filhos: Tommy, Tempestade, Bick e Beck. A família está navegando à procura da Sra. Kidd, que desapareceu numa expedição na ilha de Chipre, quando o barco O Perdido foi chacoalhado por uma violenta tempestade. Depois que as coisas ficam mais calmas, as crianças percebem que... o seu pai também desapareceu! irmãos Kidd decidem, então, continuar as investigações iniciadas pelo pai e prosseguir com as expedições em busca de tesouros. O difícil é saber em quem confiar quando todo mundo parece tão mal-encarado. Junte-se a esta aventura contra os piratas na mais perigosa – e divertida – caçada da vida destes garotos!

Bônus
Faça Boa Arte, Neil Gaiman
Este é o discurso que o Neil Gaiman fez em 2012 para os formandos de uma universidade americana. É um texto curtinho, mas com aquelas coisas que sempre esquecemos e que mais precisamos quando empacamos em alguma coisa ou quando nos sentimos inseguros. Não sei quantas vezes já li e reli esse livro, mas a cada nova vez parece a primeira.

Em maio de 2012 o autor best-seller Neil Gaiman subiu ao palco da University of the Arts na Filadélfia para fazer um discurso de formatura. Durante dezenove minutos ele dividiu com os formandos suas ideias sobre criatividade, bravura e força, encorajando os novos pintores, músicos, escritores e sonhadores a quebrar as regras, pensar de forma inovadora e, acima de tudo, Fazer Boa Arte. O discurso virou um livro, idealizado pelo renomado designer gráfico Chip Kidd, que contém o texto inspirador de Gaiman na íntegra. Seja para um jovem artista no início de sua jornada criativa, ou como sinal de gratidão para um mestre a quem se admira, ou para você mesmo, essa obra é o presente ideal para quem dá tudo de si a fim de fazer bem-feito o que faz.

Outra dica
Em algum momento nas semanas passadas, durante uma das minhas pausas para procrastinação, encontrei um artigo comentando como apps de self-care se tornaram ferramentas importantes para ajudar a nossa saúde mental e pulando de link em link, encontrei um aplicativo muito fofo chamado Aloe Bud.


O app funciona como um catalizador de mensagens positivas e notificações para bebermos água, respirarmos, demonstrarmos amor para nós mesmos ou mandarmos uma mensagem legal para alguém, tudo o que precisamos fazer é escolher os horários e tipos de notificações que queremos. Instalei o Aloe Bud semanas atrás e estou gostando muito de receber os lembretes, principalmente nos dias de semana quando estou trabalhando ou estudando e esqueço de beber água ou simplesmente levantar um pouco da cadeira para esticar as pernas - e depois de um tempo, reler as mensagens que deixei para mim é muito reconfortante.

Você pode acessa o site do Aloe Bud para outras informações ou acompanhar suas publicações no Instagram.

O que você gosta de fazer nos dias que não são tão bons?

Até breve! 

You May Also Like

1 comentários

  1. Gostei da proposta do aplicativo, mas achei uma pena não ter pra Android (pelo menos por enquanto) Adorei as indicações de leituras tbm, principalmente Neil Gaiman <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir

Muito obrigada por passar no Doki Doki! A sua visita é super importante para mim. Me conte, gostou de alguma coisa no post? Não gostou? Me ajude a produzir conteúdos cada vez melhores, a sua opinião é muito importante.