Doki Livros | Rock Star, S.C. Stephens

segunda-feira, novembro 07, 2016

Rock Star foi o livro escolhido pela editora Valentina para a sua segunda leitura coletiva, durante todo o mês de outubro, e como eu já pretendia ler a versão de Kellan... juntei o útil ao agradável. No entanto, mesmo vários dias depois de terminar a leitura e depois da leitura coletiva ter terminado também, só agora consegui escrever essa resenha.

ah essa capa...
Eu não li Intenso Demais, nem nenhum dos outros livros da trilogia, então confesso que não esperava o calhamaço com mais de quinhentas páginas que chegou pelo correio na semana da Tusca (clique aqui). Mas não conhecer os personagens, para mim, foi bom pois tive a oportunidade de me irritar, ficar triste e feliz durante a trama pela primeira vez -- a experiência para quem já conhecia a história com certeza foi completamente diferente da minha.

Em linhas gerais, Rock Star traz mais uma daquelas histórias que já conhecemos: um personagem cafageste se apaixona por um moça certinha que, por acaso, é a namorada do seu melhor amigo. E então temos um triângulo amoroso. Veja bem, eu ainda ando com pouca paciência para triângulos amorosos, mas neste caso, as sungularidades de Kellan Kyle seguraram bem as pontas. Por que?

Porque tenho um fraco por músicos.

Sendo assim, não esperava nada quando abri a primeira página e encontrei um homem, Kellan, com uma carga emocional muito grande e sérios problemas com relações afetivas. Sempre acho muito interessante os livros com o ponto de vista masculino porque eles são completamente diferentes de nós e com Kyle não é diferente -- a forma como ele age e pensa sobre a atração que sente por Kiera é prova disso.

A autora consegue manter um ritmo muito interessante na narrativa, pois mesmo com os altos e baixos dos humores do personagem principal, conseguimos perceber a consistência na trama. Com linguagem clara e cenas bem montadas, Stephens traz uma história complexa e envolvente, seus personagens são bem construídos e com características marcantes -- o que me leva a falar deles.

Nosso personagem principal, e também o narrador da trama, Kellan é muito bem detalhado e os detalhes de seu passado, que vão aparecendo aos poucos, são a chave da sua personalidade. Ele é lindo (e sabe disso), é um músico talentoso (como diria um dos seus companheiros de banda, é "o dono da banda") e também um homem que tem sua vida abalada pela presença de Kiera. Seus sentimentos são fortes, ele passa mais tempo -- do que eu desejaria para um personagem -- enlouquecido de ciúme por Kiera estar-não-estar-estar-de-novo com seu melhor amigo do que fazendo direito todas as outras coisas de sua vida. Gosto de Kellan por sua intensidade. É essa intensidade que deixa o leitor apaixonado. É essa intensidade que faz desse livro um bom livro -- porque se dependesse da Kiera...

Particularmente não gostei da Kiera. As mocinhas são o principal fator que me faz não gostar de triângulos amorosos -- elas sempre realmente amam um dos dois, mas fazem todo mundo sofrer até descobrirem isso. E é a mesma coisa com Kiera. No fundo, no fundo, ela provavelmente sabia que sua história com Denny havia chegado ao fim quando se sentiu balançada por Kellan, mas insistiu no erro e tivemos que aguentar um Kellan perdido entre tentar conquistá-la e lidar com o peso de estar traindo o melhor amigo por capítulos e mais capítulos. Se Kellan não fosse o personagem que é, eu teria largado o livro antes de passar das duzentas páginas e nem mesmo os companheiros de banda, que são ótimos personagens, me fariam ficar.

Aproveitando o gancho, dos três amigos da banda, Evan, Matt e Griffin, Evan com certeza é o meu preferido. Centrado e responsável, ele é o responsável por manter os pés de um certo Kell no chão -- e também é mais do que um bom amigo. Matt não tem tanto espaço quanto os outros na trama, mas também é um personagem bem construído -- e, deixe-me ser sincera, ele é um fofo. Agora Griffin... Griffin é um personagem que faria falta, mas ah... como seu tipo de personagem é chato. Homens que pensam ser "a melhor coisa de nossas vidas" são enfadonhos, mesmo que engraçados às vezes.

Enfim, passei boa parte da trama brava com Kiera e com dó do Kellan, mas no meio disso fiquei encantada por esse homem que se acha o fortão, mas que só precisa ser amado do jeito certo. Para os fãs da série, esse é um prato cheio. E para quem, como eu, não conhecia os personagens, é uma boa oportunidade para colocar na lista mais um músico bonito e do tipo que só encontramos em livros. Claramente uma boa leitura.

detalhes, detalhes...
Ah! Não posso deixar de mencionar o trabalho gráfico do livro! Como sempre, os detalhes dos topos das páginas são um atrativo e tanto -- me peguei parada, olhando para os detalhes, várias vezes durante a leitura.

Até breve! 

You Might Also Like

16 comentários

  1. Oi, Vitória!

    Já tinha visto esse livro circulando pelas redes sociais. Pensei seriamente em adicioná-lo à minha lista, mas gostei muito da sua resenha e vou considerar. A capa é bem bonita e adoro a Valentina! Espero que minha leitura flua nesse gênero.

    Sucesso com o blog sempre!
    Beijos, Belle.
    floraliteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Flora!
      Olha, vale a leitura haha e sim, essa capa..............

      Excluir
  2. Oi Vitória. Já conhecia esse livro, mas ainda não tinha lido nada sobre, embora tivesse uma vaga ideia do que se tratava. Confesso que não me chamou muito a atenção, pois triângulos amorosos, mocinhas indecisas e personagens como o Kellan me irritam demaissss hahaha. Esse lance de bad boy com problemas para se relacionar não me convence muito :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      É, triângulos amorosos não me atraem também, mas acho que o Kellan acabou me conquistando mesmo assim D: enfim, espero que numa próxima vez que tu passar pelo blog se interesse mais por algum outro livro :)

      Excluir
  3. Olá, Vitória.
    Como você não tinha lido os outros livros da série sua experiência de leitura com certeza foi diferente das demais pessoas e isso é bom porque o seu primeiro contato.
    Achei que a história ser do ponto de vista de um homem um diferencial muito bom, ainda mais quando é um homem com uma grande carga emocional, o que para mim, é pouco comum nos livros que tenho lido.
    Abraços.

    Papel, palavra, coração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria!
      Pois é! Sempre acho super legal quando a trama passa pelo olhar do personagem masculino, porque normalmente é bem diferente do olhar das mocinhas.

      Excluir
  4. Oi Vitória, estou um pouco cansada da receita um cafajeste, uma mocinha inocente que se apaixonada perdidamente em um curto espaço de tempo, ou seja, estou cansada de alguns clichês e olha que nem sou de ligar para clichês, hahaha Também não gosto dessa coisa de triângulo amoroso que tem me cansado também, hahaha. Mas, uma coisa que você falou acabou por chamar mais a minha atenção para o livro a ponto de eu investir na trilogia futuramente: trama e personagens bem construídos, embora me desmotive o triângulo amoroso e uma mocinha indecisa que promete me irritar.

    Bjo
    Tânia Bueno
    Faces da Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tania!
      Nossa, tenho esse mesmo problema com as mocinhas dos livros, mas acho que se a gente for lendo e lendo, alguma hora temos sorte e encontramos personagens bem construídos - que é o que acontece aqui, mesmo com as outras questões :)

      Excluir
  5. Oiee Vitória ^^
    Eu cheguei a ler os dois primeiros livros da série, e até gostei (apesar de os livros serem tão grandes, e terem algumas coisas não tão essenciais para a história no meio). E tirando também o fato de que eu quase odiei a protagonista...hehe' acontece que eu também tenho um fraco por músicos, principalmente quando eles tem um passado todo triste e ferrado...haha' *-*
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dryh!
      Ah os músicos...................... haha

      Excluir
  6. Infelizmente, não consigo sentir interesse pela série Rock Star, acho clichê e esse romance com triangulo amoroso e personagens esterotipados, não me agrada, parece que estou lendo sempre os mesmos livros, por isso mesmo esse gênero eu não costumo ler, até gostei dos pontos positivou que você levantou na resenha, com certeza quem aprecia mais o estilo vai apreciar muito mais, mesmo que eu não tenha interesse no livro, gostei da sua crítica, acredito que vale a pena ver a opinião do blogueiro, mesmo que a obra não seja do nosso agrado.

    http://www.daimaginacaoaescrita.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sammy!
      Super concordo com você :) É bom ver a opinião de uma terceira pessoa mesmo que a gente não goste do livro ^^

      Excluir
  7. Gostei da resenha, estou com esse livro pra ler e depois do que li, fiquei mais animada para iniciar a leitura.
    Um beijo <3
    Leiturize-se

    ResponderExcluir
  8. Oiii!!

    Eu não conhecia esse livro e na verdade eu teria passado longe justamente por conter um triangulo amoroso. Tenho uma super preguiça para com essas obras... E normalmente quero socar a principal. Maaaas eu gostei de conhecer sua opinião sobre a obra!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha acho que todas temos esse mesmo problema ;)

      Excluir

Obrigada por passar no Doki Doki :) A sua visita é muito importante para mim. Gostou de alguma coisa? Não gostou? Me conte! ;)

Editora parceira

Editora parceira

Editora parceira

Editora parceira

Editora parceira

Subscribe