Doki Livros | Talvez Um Dia, Colleen Hoover

quarta-feira, junho 29, 2016

Eu realmente não sei como começar essa resenha por dois motivos: 1) esse é sem dúvida nenhuma o meu livro favorito entre todos os da Colleen e 2) preciso me segurar muito para dizer o quanto ele é bom sem soltar nenhum spoiler para você. Então, vou escrever e me editar para deixar um texto limpo de spoilers -- e cheio de coração (olha que bonito).

a foto ficou rosada mais uma vez... acho que vou começar a tirar essas fotos em outro horário...
Li Maybe Someday pela primeira vez no ano passado, logo depois de terminar Ugly Love (por aqui, O Lado Feio do Amor) porque entrei num ritmo alucinado-devorador de histórias da Colleen e não sabia como parar. Maybe Someday (e depois Maybe Not, que vou falar um pouquinho sobre no final desse texto) me fez parar. Porque a história de Sydney e Ridge merece um tempo para ser saboreada mesmo depois de terminar a leitura. Provavelmente essa foi a razão por eu não ter escrito uma resenha antes -- eu precisei de tempo.

O momento para resenhar chegou quando ganhei o meu exemplar de Talvez Um Dia. Eu não perco a oportunidade de reler uma história que gosto muito e assim que coloquei minhas mãos no livro, não larguei mais. Por isso, cá estamos nós -- e eu ainda não sei muito bem o que escrever.

O que me conquistou em Talvez Um Dia, fora a escrita fluída e amarradinha de Colleen Hoover, foi o contexto da história: à primeira vista temos uma garota da graduação, um garoto super talentoso, seus amigos pirados e sua namorada muito gentil, mas quando chegamos mais perto, encontramos uma jovem adulta um pouco perdida (como eu mesma sou), um jovem adulto que teve que lidar com muita coisa no passado por ser surdo e por ter pais no mínimo difíceis, um casal com um relacionamento aparentemente complicado (mas, para ser sincera, é o mais fácil de tudo ali) e uma moça pilhada com a finalização de sua tese e com um passado nada leve também.

Eu admiro muito o tratamento que a autora dá para seus personagens. Ela os faz em camadas e o leitor vai descobrindo linha por linha todos os detalhes que fazem de, por exemplo, Ridge quem ele é.

ah o processo de escrever uma letra de música...
Mas antes de falar sobre Ridge, que merece todo o amor do mundo, deixe-me falar sobre Sidney. Sid é uma garota corajosa -- e sim, eu acho que ela é corajosa, porque não é qualquer pessoa que vai socar a cara do (ex) namorado e da melhor amiga como reflexo de traição. Apesar de tudo, ela até que lidou bem com o final do seu relacionamento (não foi uma experiência divertida descobrir que Hunter a estava traindo com Tori, sua melhor amiga, desde sempre [desde sempre mesmo])... e se tem alguma coisa que pode ser aprendido de sua história... é que o tempo pode sim melhor tudo -- e nada melhor do que se afastar um pouco da situação para colocar as coisas em outra perspectiva. Sidney é muito boa em escrever letras de música e é com Ridge que ela se descobre como compositora. É com Ridge também que ela descobre muita coisa. Mas não é só com Ridge que ela aprende coisas. Warren, o amigo pirado e viciado em pornografia de Ridge, ensina um lado mais divertido da vida para ela. E Bridgette ensina o lado furioso da vida. (vou falar sobre Warren e Bridgette daqui a pouco, não se preocupe!) Confesso que me preocupei muito com o desenvolvimento dessa personagem ao longo dos capítulos, mas a autora não perdeu as rédeas da situação e conduziu bem os acontecimentos e reações da Sidney -- que, como qualquer outra garota com sentimentos, lidou como pode com tudo o que estava acontecendo em sua vida (que mais parecia uma novela mexicana).

Ridge foi um personagem bem construído. Não é sempre que encontro um personagem surdo (e com base nas minhas poucas aulas de Libras, acho que a autora tratou de sua surdez de forma bastante digna -- alguns semestres atrás estudei sobre as escolas de ensino bilíngue português-libras, então eu tinha uma certa expectativa de como ela mostraria isso), e me pareceu bastante preocupada em deixar o personagem o mais perto da realidade possível. Além disso, seu personagem é extremamente sensível -- algumas vezes mais com Maggie, sua namorada, e Sid do que com ele mesmo. Ele e Brennan, seu irmão, possuem uma relação muito bonita -- e todo o passado que eles compartilham, até mesmo os segredos que Ridge guarda do irmão para protegê-lo, fortalece o laço que os une. E eu gosto muito de personagens que dão valor às pessoas que os rodeiam. Além disso, não há como não falar da infinita guerra de pegadinhas entre ele e Warren. Os dois são eternas crianças e a cada nova pegadinha levam a brincadeira para um nível mais alto -- provavelmente são as cenas mais divertidas.

Falar de Ridge me leva a falar de Maggie. Ela é uma personagem que conhecemos pelos olhos dos outros personagens e que, assim como Ridge, possui muitos detalhes em seu passado que ainda pesam no presente de Ridge. Maggie é uma personagem muito doce, no entanto. E se a situação fosse diferente, provavelmente seria uma amiga e tanto para Sidney.

Agora Warren e Bridgette. Ah esses dois... Nós também os conhecemos pelos olhos dos protagonistas, mas de qualquer forma eles roubam a cena. Não temos todos os detalhes sobre os dois, mas cada informação compartilhada conosco ajuda a formar a imagem deles. Warren é um amigo muito leal e Bridgette possui um temperamento muito interessante. Eles precisaram de um empurrãozinho da Sidney, mas não consigo deixar de acreditar que os dois iriam ser sinceros sobre seus sentimentos mesmo se a Sid não tivesse interferido. De qualquer forma, que casal maravilhoso eles formam! O leitor nunca sabe o que esperar da próxima ação de Bridgette, por isso está sempre na ponta dos pés -- e isso é ótimo! Depois de Talvez Um Dia, os dois ganharam um pouco mais de espaço com Maybe Not, um conto que Hoover lançou. Maybe Not é uma oportunidade muito interessante de observar a relação dos dois mais de perto, sem o drama de Ridge e Sidney permeando as páginas. É muito divertido ver como a mente desses dois funciona e eu mais do que indico a leitura para aqueles que como eu adoraram o casal.

:3
O mais importante aqui é que Hoover apresenta personagens que não são perfeitos. Todos cometem erros -- todos mesmo. E essa é a beleza humana, não é mesmo? Com personagens imperfeitos, a autora apresenta uma narrativa bem amarrada e apaixonante. O leitor sofre com Sidney e Ridge, ri com as pegadinhas de Warren, se diverte com os humores de Bridgette, fica dividido com Maggie, morre de raiva de Tori e Hunter, quer saber mais sobre Brennan. Todos os personagens estão ali com um propósito, todos cumprem algum papel, não deixando espaço para desvios no meio do caminho.

E, é claro, a história inteira é construída de forma a deixar o leitor com o coração na mão. Hoover é uma especialista nesse ponto -- todas as suas histórias que li fizeram a mesma coisa comigo. Assim, tudo o que me resta falar aqui é que esse é um romance que flui como as canções mais romanticas que conhecemos e é embalado pela trilha sonora que a autora disponibilizou em seu site para completar a experiência com as letras que estão no interior da trama (uma música mais bonita que a outra). Talvez Um Dia nos lembra que a música conecta e nos torna pessoas melhores.

Até breve! 

You Might Also Like

24 comentários

  1. Oiii Vitória, tudo bem?
    Menina que resenha incrível essa sua, mas infelizmente a obra não despertou muito meu interesse :( então pularei a dica. Mas, adorei a foto que tirastes.
    Beijinhos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Morgana!
      Ah que pena que o livro não te atraiu =/ Mas obrigada! <3

      Excluir
  2. Oie...
    Após ler sua resenha é impossivel não querer ler rsrs... É muito amor <3
    Um ponto que me agradou muito foi quando você relatou que os protagonistas são reais, ou seja, cometem erros! Já estou cansada de ler livros com personagens perfeitinhos ...
    Adorei sua resenha e com certeza vou adquirir meu exemplar para ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Diane!
      Ah que bom que consegui te convencer a ler! hehehe :3
      Siiim, personagens perfeitos são cansativos quando em excesso D:

      Excluir
  3. Oi
    que bom que gostou de ler esse livro, eu já li ele na época peguei um e-book traduzido por fã, mas agora quero comprar esse livro já que vale a pena ter ele, ainda mais por conta do protagonista ser deficiente visual.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siim, vale muito a pena ter o exemplar dele! A história é um amor <3

      Excluir
  4. Esse livro traz um enredo bastante forte no meu ponto de vista, ainda mais por trazer a protagonista com deficiência visual .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é bastante forte, mas tratado de forma bem suave. :)

      Excluir
  5. Essas histórias com relacionamentos amoros, traição e com personagens fortes ou de espírito forte pelo menos, nos faz ter muitos sentimentos quanto ao livro. Amor, ódio, raiva, alegria, de tudo um pouco né?!! é bom :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siim, é a melhor coisa em um romance hahaha o turbilhão de emoções acaba nos aproximando mais dos personagens! :D

      Excluir
  6. Oi Vitória.

    Ainda não tive oportunidade de ler um livro da Collen, mas pelas resenhas que já li e pela sua resenha também o livro é carregado de emoções. Outra coisa que gostei de saber é a trilha sonora que a autora disponibilizou no livro, fiquei curiosa para conhecer.

    Bjos
    Histórias Existem Para serem Contadas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kênia!
      Sim, é cheio de emoções -- e a trilha é linda, super vale a pena ouvir!

      Excluir
  7. Oi Vitória, quando nos apaixonamos pela obra acabamos desenvolvendo, em alguns casos, até uma simbiose, então entendo o que você coloca no início de que não sabia como começar a resenha sem dar spoiler. E confesso que sua resenha já me conquistou nas primeiras linhas em que vc descreveu os personagens e o motivo? Trabalho com pessoas com deficiência e as amo e saber que o protagonista tem deficiência auditiva mega chamou minha atenção e saber que ela tratou a questão da deficiência de forma especial e digna muito me alegrou.
    Amei a sua resenha que está clara, objetiva e envolvente.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tania!
      Ai, se eu te conquistei no começo já fico mais que feliz! <3 E que trabalho legal você tem! E sim, ela soube tratar bem a questão da deficiência.
      bjus! :3

      Excluir
  8. Olá Vitória,
    ainda não tive oportunidade de ler nenhum livro da Colleen e esse é um dos livros que vi bastante resenha elogiando. Confesso que já estava na minha fila em ebook para ler, mas agora com a sua resenha, vou ter que passá-lo na frente, pois com uma trilha sonora e um protagonista com deficiência fiquei bem curiosa para saber como a história flui.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos
    www.embarcandonaleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, obrigada!
      Depois que você ler, me conte o que achou também! :D

      Excluir
  9. Eu mesma já quero socar essa amiga falsa e o namorado cretino... ¬¬ Odeio traição! Pelo jeito vai ser uma leitura intensa, e que vai me deixar com vários sentimentos ao mesmo tempo. Eu acho que só li um livro dessa autora até agora, preciso ler mais. Sempre vejo elogios.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiiim, vai ser uma leitura com muita emoção! Quando você tiver oportunidade, leia mais um ou outro dela, todos os que li até agora são muito bons! :D

      Excluir
  10. Oi Vitória.
    Que amor por esse livro hein? Nunca li nada da autora mas só vejo elogios e acho a capa desse livro super amorzinho. Uma história com tantos personagens legais e bem construídos assim só pode ser uma boa pedida. Só não gostei de saber que rola uma traição, odeio traições.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nathalia!
      hehehe sou apaixonada por essa história :X mas é, a traição é bem incômoda... mas ela é meio que o fio condutor da trama né, então é meio que uma coisa necessária nesse contexto D:

      Excluir
  11. Oi Vitória,
    nunca li nenhum livro da Colleen e também nunca pesquisei. A história parece ser legal mas eu não sei se gostaria de ler... quem sabe um dia? Haha. Gostei bastante do fato dela não retratar personagens perfeitos como vemos em alguns livros. Ah, adorei as fotos.
    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Giovanna!
      Ah se um dia você der uma chance....... talvez você goste! haha Mas, ó, muuuito obrigada! :D

      Excluir
  12. Ah, então Maybe not é sobre o Warren e a Bridgette? Adorei, gostaria de saber mais sobre o relacionamento deles. Achei o mau humor da Bridgette extremamente engraçado, rs, e a parte das pegadinhas é realmente bem divertida. Esse livro não me tornou meu favorito da autora porque quem ocupa esse lugar no meu coração é Um caso perdido, mas apesar do triângulo amoroso, recurso que costumo odiar, adorei a leitura!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ju!
      Sim! É sobre eles! :3 Ah adoro Um caso perdido também, mas como li ele depois de Maybe Someday, o lugar no meu coração já estava ocupado! haha

      Excluir

Obrigada por passar no Doki Doki :) A sua visita é muito importante para mim. Gostou de alguma coisa? Não gostou? Me conte! ;)

Editora parceira

Editora parceira

Editora parceira

Editora parceira

Editora parceira

Subscribe