Doki Livros | Na Companhia das Estrelas, Peter Heller

quinta-feira, setembro 26, 2013

Na Companhia das Estrelas – Às vezes, um bom coração é tudo de que um homem precisa
Autor: Peter Heller
Páginas: 407
Editora: Novo Conceito
Classificação: 5/5 Luas
capa
Que fique bem claro: cada um tem sua própria opinião. E a minha é a que você está lendo nesse momento.
Me sinto bem em dizer que todas as semanas que levei para finalmente terminar a leitura desse livro valeram a pena. Precisei de tempo para absorver muita coisa nessa história. Precisei de tempo para me acostumar com a forma de narrar de Peter. Precisei de tempo para me acostumar ao que sua história estava me mostrando. Precisei de tempo para por em ordem o que estava sentindo.
Suas linhas e frases são inquietas, com uma dor escondida da superfície, mas que se faz presente – e com mais força a cada página virada. Num primeiro momento, não sabia como colocar em linhas o que senti enquanto lia a história desse personagem tão singular. Hig apareceu num momento conflitante do meu semestre – entre provas e a ansiedade da liberação da bolsa de iniciação científica – e me descobri aprendendo a conhecer ele e Jasper. E a descobrir que, nos tempos difíceis – e corro o risco de dizer, sempre – tudo o que precisamos está dentro de nós mesmos.
Estava sorrindo. Podia sentir minhas faces se esticando. Fiquei entrincheirado novamente na beira do cânion e escrevi verticalmente em uma folha, o maior que pude: EU
Nos primeiros capítulos, tive a sensação de que a história fluia de maneira devagar, mas com o passar dos capítulos percebi que não era lentidão e sim suavidade. A forma de narrar de Peter Heller é singular – seus parágrafos possuem espaçamento, não há diálogos da forma com que nos acostumamos e os travessões não aparecem (Sinceramente? Foi beme stranho no começo, mas nada que seja inacostumável).
Provavelmente é a fase em que estou, mas gostei realmente de ter a oportunidade de ler uma história tão forte (no sentido de possuir muita carga emocional, muita expectativa, muita esperança) e com um caminho tão bonito. Hig poderia ser considerado um exemplo – mas não me atrevo a tanto. Jasper é um personagem cativante. Papi é interessante de uma forma confusa. E o pano de fundo dessa narrativa – a doença que extermina multidões ( e tudo o que mais amamos) – poderia ser real, poderá ser real se continuarmos com essa cede insaciável que corroi tudo e todos pela frente.
Quando estarei em casa? Não sei.
Na Companhia das Estrelas é robusto, nem um pouco ingênuo e pede mais do que aparenta. Não deixe de ler e voltar para me contar o que achou – e o que sentiu.


PS: Me pergunto “quando estarei em casa?” E percebo que, talvez, a resposta seja “quando meu coração estiver em paz, porque “casa” é onde as pessoas que amamos estão”, e eu sei onde elas estão. Você sabe onde as suas estão?

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por passar no Doki Doki :) A sua visita é muito importante para mim. Gostou de alguma coisa? Não gostou? Me conte! ;)

Editora parceira

Editora parceira

Editora parceira

Editora parceira

Editora parceira

Subscribe