Deixei cordas soltas

quarta-feira, setembro 05, 2012


Não. Não sinto mais medo.
Resolvi não mais segurar as cordas do destino. Agora ele que ande sozinho.
Se amor é o que encontro aqui, então não lutarei mais contra. É assim que funciona? Não tenho certeza. É novo para mim. Nunca me apaixonei assim. Na verdade, ainda tento descobrir o que é o amor, todas as vezes em que o vi sentir dor.
Mas eu sinto o turbilhão que acontece dentro de mim quando você se aproxima e me beija. Será que isto é certo? Talvez... eu gosto dessa palavra... talvez. Se você prometer me proteger, eu posso até confiar em você. Ou não. Não sei. Tenho fases, você sabe.
Ainda sinto seu gosto em minha boca... é tão doce! Consegue sentir? (...)
Lembra do dia em que me pediu em namoro? Eu aceitei sem saber o significado disso, então você me ensinou. Éramos muito novos, não é? O que veio depois? Términos, reconciliações... E anos depois, aqui estamos aqui. De novo.
As cordas do violão velho vibram quando toco aquela canção antiga que fiz para você e que nem sabe que existe. Talvez eu lhe mostre um dia. Talvez não.
É por isso que deixei o destino livre. Para que ele escolha o que devo fazer.
Só uma coisa: pode continuar me abraçando desse jeito? Acho que estou me apaixonando de verdade e preciso sentir seu calor.
 
Eu não lembro se já postei esse texto aqui. É um dos antigos e tenho um carinho especial por ele, mesmo que tudo o que estava sentindo no momento em que o escrevi não exista mais. Boa semana. Acho que a Junne ainda aparecerá por aqui antes do final do mês. ;)

You Might Also Like

0 comentários

Obrigada por passar no Doki Doki :) A sua visita é muito importante para mim. Gostou de alguma coisa? Não gostou? Me conte! ;)

Editora parceira

Editora parceira

Editora parceira

Editora parceira

Subscribe