Burn Your Tongue (Part VII)

quarta-feira, outubro 12, 2011

Para ler as partes anteriores, clique aqui. (: 
Bom, quem queria saber o que aconteceu no teste de Thomaz, a hora é essa o/


Thomaz
Caleb me guiou em silencio pelos cômodos da casa até uma espécie de pista de corrida que atrás, no que imaginava ser o quintal. Mas havia esquecido de que estávamos em uma fazenda. O sol estava fraco, sua lus amarelada dava um tom cansado às poucas pessoas que estavam lá. Já começava a perder a ideia do que me aguardava.
-Thomaz, este é Jule. –paramos de andar quando Caleb apontou para um garoto gorducho de uns dez anos, sentado com uma grande mochila preta ao lado, poucos metros a nossa frente. –Ele é seu teste físico.
Físico? Fácil, vamos apostar corrida?
-Vou apostar corrida com uma criança? –perguntei para ter certeza.
-Algo assim. Não se preocupe, se vice tiver o que é preciso para ser um de nós, nada do que terá que fazer será um problema. –sorriu e se aproximou de Jule, que se levantou e me olhou de um jeito estranho, como se me conhecesse e estivesse surpreso em me ver aqui. Mas eu não o conheço, pelo menos acho que não. –Colocou na mochila tudo o que mandei?
-Sim, senhor. E 87 pediu para o senhor fazer o teste com o novato dele também, porque ele e 89 tem uma reunião com o chefe durante o dia. –Jule falava como um soldado, me perguntava se todos da família eram treinados desde pequenos e recebiam o mesmo tratamento que os novatos. Esse garoto, pelo menos, recebia.
-Certo. É uma menina, não é? –recebeu um aceno afirmativo. –Certo. Thomaz, venha cá, seu teste vai começar.
Me aproximei devagar, a ansiedade martelando no meu coração, fazendo minha pele suar frio.
...
O sol alto castigava meu rosto vermelho pelo esforço, já estava na vigésima volta pela pista de corrida. O problema não estava em correr, eu poderia fazer isso o dia inteiro. O problema estava na carga que levava nas costas. Jule. E a mochila mais pesada do que pude imaginar. Quando Caleb me disse que deveria correr com Jule –que se mostrou ser muito mais pesado do que calculei –nas minhas costas –de cavalinho – e a mochila com mais alguns muitos quilos, pensei que ele estava brincando. Não estava.
Enquanto eu corro como um burro de cargas, Caleb me observa a distância enquanto testa a outra novata. Uma menina de aparecia frágil, cabelos castanhos muito claros e pele bronzeada demais para quem acabou de sair do inverno. Ela tinha que atirar em alvos que se moviam cada vez mais rápido e distantes, misturados à pessoas –reais- andando. Não poderia dizer que era fácil, mas com certeza era mais confortável. Eles estavam na sombra. E ela podia parar sempre que quisesse. Eu deveria fazer trinta voltas, só então poderia parar e tomar água ou qualquer outra coisa.
Jule balançava os pés ao lado do meu corpo, faltavam mais três voltas e aparentemente ele também estava aliviado por logo parar.
-Me lembro de você. –disse, quando estávamos na metade da última volta.
-É? –perguntei, com a voz saindo fraca pelo esforço.
-Sim. Lizzy era sua amiga quando não era... bem, você sabe. Vocês me levaram para um parque uma vez, pouco antes dela aceitar o compromisso.
-Ah, sim, agora me lembro. Você era menor. E mais leve, devo avisar. –o garoto gargalhou, estávamos chegando perto agora. Havia diminuído o ritmo.
-Eu cresci, ora. Um pouco mais do que deveria, mas é por uma boa razão. E não estamos falando disso. Lizzy gostava de você. Da sua companhia. Será bom vê-los andando por aí de novo. Desde que ela aceitou o compromisso, seus ombros estão sobrecarregados demais. –sua voz saiu baixa e triste. –Ela não é mais aquela garota, sabe?
Antes que pudesse pensar em responder, Caleb já estava parado na minha frente nos olhando com expressão divertida. É claro, não era ele quem estava correndo como um louco em baixo do sol. Soltei Jule para que ele pudesse sair das minhas costas, um alívio sem tamanho me pegou de surpresa quando não havia mais nenhum peso.
-Descanse um pouco, lave o rosto, tome água. Seu teste continua em vinte minutos. Vamos Jule, você vai me ajudar com o teste da pequena Samantha ali. –disse, já se afastando e levando Jule antes que eu pudesse lhe perguntar que compromisso Lizzy havia aceito.
Vinte minutos mais tarde, estava sentado na sombra de uma das árvores que ficavam perto da pista, minha respiração já estava normalizada e meu corpo pareci mais pesado que do o normal. Vi Caleb voltando com alguma coisa nas mãos.
-Está pronto? –perguntou, parando ao meu lado.
-Sim, senhor.
-Ótimo. –sorriu com a sobrancelha arqueada –Comece a correr. –Me mostrou o que carregava nas mãos, uma pistola. –Te dou quinze metros. Se levar menos do que cinco marcas, está dentro. Caso contrário... bem, pensaremos nisso depois, sim? Vai!
Acenei e sai correndo. Como um louco. Agora eu teria que correr mais. Correr para salvar a minha vida.
...
Caleb já havia atirado várias vezes, não tinha ideia de quantas me atingiram. Poucas, eu espero. Ele não havia dito quanto tempo duraria essa ‘caçada’, mas pelo menos, no primeiro tiro, descobri que não eram balas de verdade, eram balas de tinta laranja, com cheiro forte e nauseante. Ficava um pouco tonto a cada novo tiro. Talvez esse fosse o segredo, a tinta me deixava cada vez mais tonto, assim, seria um alvo fácil e teria mais marcas ao final do teste.
Se era assim, não me deixaria desistir agora, cheguei até aqui. Não iria me render, Alazar havia me treinado bem o suficiente para que eu pudesse suportar isso e muito mais. Corri mais rápido e fiquei distante o suficiente para que os tiros de Caleb não me atingissem, mais minutos se passaram e ouvi o grito dele, me chamando de volta.
Quando o alcancei, seu sorriso estava maior do que antes. Olhei para minhas roupas e só encontrei uma marca laranja.
-Bem, parece que se saiu muito bem, Thomaz.
-Obrigado, senhor.
-Não me agradeça, ainda. Vamos contar suas marcas, garoto. Tire a camiseta para contarmos. –Mandou. Fiz o que ele queria e contamos três marcas. Menos do que cinco. Eu estava dentro. –É isso aí, garoto. Você está dentro. –Caleb deu uma batida em meu ombro, como sinal de apoio e virou a cabeça, procurando alguma coisa. –Jule! Vá chamar Elizabeth, ela tem um novato para treinar. –Gritou.
Eu estou dentro!
Sorri e olhei para o sol, que nunca me pareceu tão brilhante como agora. Fiquei perdido em pensamentos até ouvir sua voz.
-Olá, Caleb. –Lizzy usava uma blusa verde escura de mangas compridas e short escuro, parecia cansada. –Mandou me chamar?
Jule estava parado – se balançando de um lado para o outro –ao lado dela e me lançou um sorriso de felicitação por eu ter conseguido.
-Sim, este é Thomaz, seu novato. –Caleb apontou para mim, e Lizzy finalmente me olhou. Seus olhos se estreitaram e seu olhar ficou frio. –Thomaz, está é Elizabeth. Ela irá comandar seu treinamento.
-Nós já nos conhecemos, Caleb. Não é mesmo, Thomaz? –a voz dela soou irritada.
-Sim. Já nos conhecemos, estamos na mesma sala.
-Ótimo, assim vocês me poupam muito tempo. –sorriu –Bem, divirtam-se, garotos. Preciso terminar o teste de Samantha. Liz, cuide do garoto, ele tem potencial. –ao aceno dela, Caleb virou as costas e se encaminhou para o lugar onde a outra novata estava.
-Então... você é meu novato.
-Parece que sim. –suspirei.
-Bom, acho que será divertido. Venha. –Saiu sem me esperar, com um Jule rindo logo atrás. Será divertido Lizzy, pode apostar. Mas talvez não tenha tanta graça para você.

You Might Also Like

3 comentários

  1. Nossa, tá bom demais! Não vou perguntar "por que demorou tanto??", mas adorei saber que ele está dentro, agora resta saber o que vai acontecer daqui pra frente *.* Poste assim que der, e obrigada por avisar.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Deus eh mais pra esses testes heim! -___- eu nao conseguiria.. rs

    E agora eu quero saber o que a Lizzy "EH" afinal :D
    Muito curiosa eu com certeza.

    Aguardo pelo proximo capitulo!
    Me avisa qq coisa ta?

    Bjos!

    ResponderExcluir
  3. Adorei. Que gente má essa familia da Lizzy hein?!
    Suspense, amo.
    Bjs

    ResponderExcluir

Obrigada por passar no Doki Doki :) A sua visita é muito importante para mim. Gostou de alguma coisa? Não gostou? Me conte! ;)

Editora parceira

Editora parceira

Editora parceira

Editora parceira

Editora parceira

Subscribe