27.3.15

Esculturas em papel de Yusuke Oono

Algumas pessoas são realmente incríveis, se você me permitir contar. Uma delas é Yusuke Oone.
De acordo com seu perfil no lofwork.com, Yusuke é um arquiteto/design que trabalha na Noiz Architects, uma empresa de design com sede em Tóquio e Taipei. Ele já trabalhou em vários outros projetos, incluindo paisagens, interiores, mobiliário, etc.

Ele esculpe desenhos/histórias dentro de livros usando a técnica kirigami e cada imagem é recortada em uma página, formando um cenário em 360º quando finalizada - e deixe-me dizer, o resultado é impressíonante!







Para saber mais sobre Oone, clique aqui.
[As imagens utilizadas nesse post são do perfil de Yusuke no loftwork.com]

Até breve! 

26.3.15

Trilha da semana

O post de hoje traz as duas músicas que estão grudadas na minha cabeça durante essa semana - para que, quem sabe, você também fique viciado nelas. hehe



PS: Sim, Olly Murs de dois anos atrás... :X

Até breve! 

24.3.15

3 Things #5

Essa semana o 3 Things está em seu dia normal, finalmente! YAY! No entanto, sério, como é difícil eu me organizar depois que o semestre começa. Eu deveria usar um planner maus detalhado ou espalhar as folhas com o planejamento da semana na parede perto da minha mesa. Não tenho certeza se alguma dessas coisas funcionaria, de qualquer jeito.

Mas eu deveria parar com o devaneio e falar sobre os últimos dias.

Não foi realmente difícil escolher as imagens do post de hoje - principalmente porque eu quase não tirei nenhuma foto nos últimos dias. Vamos às fotos:

1. Minha foto no dia do blogueiro
Fiz duas fotos para o Dia do Blogueiro, uma para a fanpage no facebook e outra para o meu perfil no instagram - e como gostei muito da foto no instagram... aqui está!


2. O número é... 3
Ganhei três anéis ontem e fiquei morrendo de vontade de mostrar para você - quando os machucados nos meus dedos finalmente curarem (porque, é claro, eu tenho que sair machucada quando trombo em algum lugar), vou poder começar a usá-los.


3. Cut the Rope
Eu já tinha mostrado uma foto do copo no post da semana passada, mas como ainda estou muito apaixonada por ele, resolvi tirar mais uma foto. :)


E essas são minhas três fotos... dessa vez no dia certo! o/ O 3 Things volta na semana que vem.

Até breve! 

23.3.15

Resenha de Quando um Homem Ama uma Mulher, de Bella Andre e @Novo_Conceito

Nada me fez mais feliz nos últimos tempos quanto ter em mãos a história de Mary e Jack Sullivan, os pais daqueles oito filhos que colocaram o mundo abaixo nos volumes anteriores da série de Bella Andre. É interessante pensar que, até agora, de todos os livros que já li de Bella, esse seja o que eu mais gostei.

Quando um Homem Ama uma Mulher conseguiu me envolver completamente. Jack Sullivan é um homem incrível - inteligente, gentil, bonito e no momento em que o conhecemos, desesperado para encontrar uma saída para que seu projeto de dez anos não fosse deixado de lado. Quando conhece Mary, ele vê mais do que a modelo que precisava para fazer seu produto vender, ele vê a mulher que deveria ser sua esposa. É um tanto quanto apaixonante, se você parar para pensar.


Então ao longo de quase trezentas páginas, acompanhamos Jack e Mary construindo uma relação, primeiro uma amizade, depois uma relação profissional e finalmente, uma relação amorosa. Eu tinha todas as minhas fichas apostadas de que Mary não conseguiria resistir aos encantos de Jack por muito tempo, mas vejam só!, até mesmo eu estava errada. HA. Entretanto, entendo as razões dela.

Mary era uma modelo por um longo tempo quando conehceu Jack e dizer que ela havia passado por poucas e boas não é realmente necessário. Uma mulher deve ser tratada com carinho, cuidado e atenção, e ainda mais quando teve seu coração quebrado primeiro pela família e depois por um homem que não lhe deu valor [e antes que apareçam comentários sobre feministo (porque hoje em dia falamos uma coisa x e as pessoas entendem y, z ou w), não, eu não quero dizer que a felicidade de uma mulher deve girar em torno de um homem, o que estou dizendo é: quando quebramos nossos corações, precisamos de mais do que compreensão e tempo para cicatrizar e curar a dor]. Mary é estonteante, sagaz, e incrivelmente amorosa.

Sua união com Jack é incrível. E preciso dizer que estou realmente feliz que Bella Andre escreveu essa história, suas linhas foram ainda mais encantadoras do que de costume e sua narrativa ainda mais saborosa do que estava acostumada. Sempre que penso nesse livro, me lembro daquela música do Bryan Adams, Have you ever really lived a woman?

[...]Para realmente amar uma mulher
Deixe-a segurar você
Até que você saiba como ela precisa ser tocada
Você precisa respirá-la, realmente saboreá-la
Até que você possa sentí-la em seu sangue
E quando você puder ver
Seus filhos que ainda não nasceram
Dentro dos olhos dela
Você saberá que realmente ama uma mulher
Você precisa dar-lhe um pouco de confiança
Segurá-la bem apertado
Um pouco de ternura, precisa tratá-la bem
Ela estará perto de você, cuidando bem de você
Você realmente precisa amar uma mulher... [...]

É exatamente isso que Jack faz, ele ama Mary, em todas as maneiras que ela precisa. *suspiro*

Até breve!